Palavra do Presidente

As ventanias de Agosto

E-mail Imprimir

“A marujada vem subindo a rua, 
Suores brilham nos rostos molhados, 
Agosto chega com a ventania, 
Cálice bento e abençoado”

E agosto nos oferece toda a misticidade de uma história de fé e devoção a Nossa Senhora do Rosário, São Benedito e Divino Espírito Santo. Esse patrimônio imaterial se materializa nas cores fortes, nas fitas e nas batidas dos tambores que entoam versos, cantigas, canções e sonhos de um evento, que ganhou contornos genuinamente catrumanos. 

A nossa alma respira e exala cultura com os grupos de catopês, marujos e caboclinhos.

Celebramos a festa do povo, a simbologia da nossa efervescência cultural representada por ícones como Mestre Zanza, João Farias, TIM, Maria do Socorro, Joãos, Marias, Soledades, Josés, Carlos, Tinos e Felicidade…

“No mastro existe para ser louvado”

E nessa época reforçamos a importância em se preservar a memória e a identidade do nosso povo a partir de mastros erguidos na centenária Igreja do Rosário e em cortejos com rei, a rainha e o povo da cidade, da roça e da Capital. 

Louvamos a riqueza da nossa tradição retratada na alegria da vivência dessa arte catrumana. 

“Louvado seja o Santo Rosário
Louvado seja poeira e dor
Louvado seja o sonho infinito”

Sinto-me honrado em integrar os cortejos neste ano quando a festa completa 178 anos. Uma herança portuguesa de negros e índios que conquistou o coração de todos os brasileiros, demonstrando a importância cultural e religiosa desse povo forte, aguerrido e determinado. 

Pela primeira vez participo dos desfiles das Festas de Agosto. É aquela famosa sensação de borboletas no estômago…Um desejo de anos realizado agora num momento importante da minha história. 

As festas de agosto fortalecem a chama da tradição viva em nossas vidas através dos sorrisos e encantamentos de cada participante. É um conjunto de sensações e emoções indescritíveis.

"Montes Claros Montesclareou!"

Vereador Cláudio Prates

Presidente da Câmara Municipal de Montes Claros

 

Os trechos usados no texto fazem parte da Música “Montesclareou”, de Georgino Jr. e Tino Gomes.


Emendas Impositivas

E-mail Imprimir

As emendas impositivas são fundamentais para fortalecer as Câmaras Municipais, em todo os aspectos e o mandato do vereador em particular. Trata-se de uma ferramenta fundamental para a atuação dos legisladores, que terão, mais independência em relação ao Executivo. E poderão garantir recursos para viabilizar obras físicas e sociais em suas bases eleitorais, que reflitam, seguramente, na qualidade de vida da população. Desta forma, os vereadores ficam nas mesmas condições dos deputados estaduais e federais, que têm recursos expressivos de emendas parlamentares para destinar às bases eleitorais de cada um.

As emendas se constituem em avanço significativo e a Câmara e Montes Claros orgulha-se de ter saído na frente, de ser a primeira Câmara do Brasil a lançar mão deste expediente. De ter a visão futurista. E neste contexto, virou referência nacional. Tanto é verdade que câmaras de diferentes regiões do Estado e mesmo do País, buscam aqui, as informações de que necessitam para também implantar as emendas impositivas. O mais interessante é que o gestor será obrigado a cumpri-las, sob pena de responder por crimine de responsabilidade e ter o mandato cassado.

Não há dúvida de que na Câmara Municipal tomamos a decisão correta ao lançarmos mão desta ferramenta, que nos será de extrema relevância no cumprimento do mandato. Para que tenhamos condições de ampliar nossas ações, através da garantia de recursos no orçamento do Município para atender às necessidades básicas da população em diferentes setores. Só para se ter ideia de sua relevância, para o Orçamento de 2018, garantimos algo em torno de R$ 9,2 milhões, que poderemos investir em saúde, segurança, além de viabilizar outros projetos reclamados pela população.

Com as emendas impositivas, a Câmara Municipal dá um passo importante, em nosso mandato na condição de Presidente, para iniciar a construção de uma nova história em Montes Claros. Uma história de um Legislativo que busca cada vez mais sua independência do Executivo e que esteja efetivamente focado e compromissado com a defesa dos interesses coletivos. As emendas impositivas são o divisor de águas na política montes-clarense. Disso, temos certeza.


Vereador Cláudio Prates

Presidente da Câmara Municipal de Montes Claros

 


Palavra do Presidente - Crise Hídrica

E-mail Imprimir

Amigos

O vereador não apenas fiscaliza o Executivo, ele tem o dever de escutar as aspirações da comunidade, da periferia, da zona rural, da urbana e propor melhorias, buscar soluções. Nós temos realizado muito, temos trabalhado sem parar.

Nessa perspectiva, caminharemos, juntos, com o objetivo de levar aos municípios mais saúde, mais qualidade de vida, mais educação, esporte e lazer, garantindo o acesso e atendimento à população de Montes Claros.

A água no Norte de Minas

Diversos são fatores que têm contribuído para o processo de escassez dos recursos hídricos brasileiros. A crise que enfrentamos esbarra em dois grandes problemas, a nosso ver:

a escassez, a falta de responsabilidade com o uso correto desse recurso são dois dos principais e a omissão política, sobretudo por falta de representatividade política regional, em cobrar dos governos e da Copasa a prevenção para esta situação, qual seja, a barragem de Congonhas, que deveria está pronta há mais de 15 anos.

No recesso da Câmara, visitamos a barragem da Copasa para certificarmos como está o principal reservatório de abastecimento de Montes Claros. Ele representa 70%. São 125 mil famílias na maior cidade do Norte de Minas. Moradores de diversos bairros nos procuraram para relatar a falta de água.

A situação do local é caótica. Urgentemente, precisamos de uma solução estratégica e eficiente. Os três principais rios que abastecem a Barragem (Juramento, Saracura e Canoas) estão comprometidos. O Saracura ainda tem água, pouquíssima, mas tem.

O Rio Juramento, por causa da pressão da Câmara de Vereadores voltou a cair dentro da Barragem. Isso porque a captação irregular da Plantar e outros produtores foi paralisada.

A caminhada já colhe resultados positivos. A pressão já surtiu efeito.

Para tornar mais grave o caos instalado na barragem, descobrimos na nossa incursão que uma empresa de reflorestamento, com sede no local, degrada consideravelmente o leito do rio. Um boletim de ocorrência da PM, datado de fevereiro, aponta que a captação da água da empresa é 15 vezes maior que a própria Copasa. Todo processo com outorga.

O assunto nos preocupa há tempos. No começo deste ano, fomos a Copasa, em Belo Horizonte, para pedir ajuda da Presidência da Companhia cobrando mais projetos. Alguns deles foram atendidos, porém ainda há um longo caminho a percorrer.

Um dos maiores desafios da cidade é a água, sem sombras de dúvidas.

Não sei se podemos encontrar um único responsável pelo atual realidade. O aumento da população, a industrialização, a expansão da agricultura e as mudanças climáticas, características ligadas diretamente ao desenvolvimento do país, a falta de políticas públicas efetivas, tanto da operadora quanto dos usuários são alguns dos fatores que contribuíram para o processo de degradação e escassez dos recursos hídricos.

A capacidade da barragem é baixíssima. O índice é de 25%, número que chama a atenção e abre o alerta. A Copasa prevê água na barragem até dezembro.

É hora de mudar a realidade. Não é preciso ser um estudioso no assunto para entender que eu, você, nós precisamos fazer a nossa parte. Precisamos nos empenhar para conscientizar a população. Juntos, desenvolveremos ações profícuas para buscarmos soluções para o problema. Precisamos de soluções, não de culpados. Nós já estamos pagando um preço alto com racionamento, alto custo de cobrança pelo uso da água. Não podemos ficar de braços cruzados. Pequenas atitudes adotadas por nós podem fazer muita diferença para os recursos naturais.

Apesar de saber disso, o homem acaba causando danos seríssimos ao meio ambiente.

Nós, pessoas comuns, devemos e podemos ajudar. Se eu, você, nós! Cada um fizer a nossa parte, vamos contribuir para a preservação ambiental, para o uso correto do recurso tão precioso chamado água.

E quer saber? Não tem segredo! O que precisamos? #ATITUDE

Simples assim!

E nós vamos começar agora, arregaçando as mangas e trabalhando.

Em breve, lançaremos a campanha do uso consciente e racional dos recursos hídricos. Pequenas atitudes, mudam a nossa vida. E, com ações educativas, vamos viabilizar a mudança de mentalidade do norte-mineiro.

O que eu estou fazendo para mudar a realidade?

O que você está fazendo para a mudar a realidade?

Vamos responder juntos?

Vereador Cláudio Prates

Presidente da Câmara Municipal de Montes Claros