Parlamentares cobram ações de prevenção ao câncer de mama

Parlamentares cobram ações de prevenção ao câncer de mama Milton Michida/Governo do Estado de SP

O câncer de mama é a segunda maior causa de morte das mulheres no país e exige cuidados especiais. A doença, formada por tumores malignos oriundos da glândula mamária, atinge 100 vezes mais as mulheres do que os homens, principalmente após os 40 anos.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Mastologia e da Rede Goiana de Pesquisa em Mastologia, o número de mamografias realizadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) caiu drasticamente para a  faixa etária de 50 e 69 anos. A meta recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) é de 70%, porém, em 2015, Minas Gerais cumpriu apenas 35,1%.

Os Parlamentares de Montes Claros, engajados na luta pelo melhor acesso aos exames, cobraram na última Reunião Ordinária (03), políticas públicas efetivas para a prevenção e tratamento do câncer de mama.

Dr. Marlon (PTC), presidente da Comissão de Saúde, solicitou da secretaria municipal de saúde, dados acerca do fluxograma de acesso aos exames de prevenção ao câncer de mama, além dos números relativos a quantidade de ultrassons disponíveis na rede pública municipal.

A Vereadora Maria Helena Lopes (PPL) destacou que, se faz de suma importante o debate acerca da idade mínima para a realização do exame, tendo em vista que no Brasil, o SUS preconiza a idade de 50 a 69 anos e a Sociedade Brasileira de Mastologia indica a realização do exame a partir dos 40 anos e anualmente, o que não é feito no Brasil.

"É preciso mobilizar através da AMCM as Câmaras Municipais, para que seja enviado uma solicitação ao Congresso Nacional a fim que seja revisto a idade mínima de realização da mamografia. Friso aqui, que a cada 10 mulheres que tem o diagnóstico de câncer de mama, quatro tem menos de 50 anos" destaca a Parlamentar.

Cláudio Prates (PTB), presidente da Câmara e da Associação Mineira de Câmaras Municipais – AMCM, destacou que existe sim uma incoerência na realização da campanha de prevenção, no que tange ao acesso as mulheres ao exame. Assim, "fortaleço a ideia de que esta Casa aliada à AMCM incentiva esta campanha para pressionar o Congresso Nacional para que possibilite as mulheres a partir dos 40 anos a realização deste exame" afirma.

O Vereador Valcir da Ademoc (PTB), destacou a campanha do Hospital Dilson Godinho, em que mulheres entre 50 e 69 anos já estão realizando de forma gratuita a mamografia. É necessário apenas levar os documentos de identificação, comprovante de residência e cartão SUS.

P
REVINA-SE

Sintomas:
Ao sentir mudanças como caroço, vermelhidão, pele endurecida, áreas estufadas, feridas, coceiras, saída de líquido do bico do peito (sem apertar) de cor vermelha ou transparente como a água ou local endurecido, deve ser procurado um mastologista.

Tratamento: O diagnóstico precoce é importante para o tratamento da doença, isto porque quanto menor o tamanho da doença menos agressivo será o tratamento e com mais chances de cura, podendo alcançar até 95%. Atualmente, mais de 30% dos tumores são descobertos já em estágio avançado, o que diminuem as chances da paciente na luta contra a doença. Por isso, é recomendado iniciar a mamografia a partir dos 40 anos, porém as mulheres que tenham casos de câncer de mama na família deverão realizar o exame uma vez por ano a partir dos 35 anos de idade.

Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Montes Claros