Moradores reivindicam água

A Câmara Municipal de Montes Claros, através de iniciativa do Vereador Cláudio Prates (PTB), realizou na manhã de hoje (14/07), uma reunião com os moradores dos bairros Interlagos e Monte Carmelo para esclarecer sobre a situação da crise hídrica no município. 

Cláudio ressaltou sobre a viagem a Juramento para verificar o nível da barragem que é responsável pelo abastecimento de Montes Claros. De acordo com o Parlamentar, a situação é crítica e que medidas serão tomadas para resolver o problema. “Conversamos com representantes da Copasa e foi detectado que uma empresa no segmento de plantação de eucalipto está captando a água da barragem, o que contribui com a escassez hídrica”, pontuou.

Desde 2013, Montes Claros sofre com o racionamento, em dias alternados, contudo na última semana, diversos bairros ficaram dias sem água. A Vereadora Graça da Casa do Motor (PHS) disse que o nível da barragem está baixo e que é preciso alertar a população montesclarense sobre a gravidade do assunto, para que cada morador faça sua parte.

Copasa

A moradora do bairro Monte Carmelo, Carla, disse que entende que a cidade passa por uma calamidade hídrica, contudo, pediu que haja igualdade na distribuição de água. “Tem bairros que têm água todos os dias, enquanto nós ficamos sete ou até nove dias sem”.

O Vereador Oliveira Lega (PPS) concordou que não há transparência na distribuição de água e pediu que a Copasa esclareça o assunto. “Deve haver igualdade no racionamento, por isso é de extrema importância a construção da barragem de Congonhas”. 

Infraestrutura

Outro assunto debatido na reunião foi em relação a infraestrutura nos bairros, como a pavimentação asfáltica. A Vereadora Neia do Criança Feliz (PSDC) que reside na região, destacou os problemas enfrentados pelos moradores. “Fiz dois requerimentos ao Prefeito solicitando asfaltamento em várias ruas e outro para a extensão da linha do transporte coletivo. Até o momento só tive resposta da McTrans que esclareceu que só pode colocar outro ponto de lotação se houver asfalto”.

O morador Josimar contou que está pensando em colocar a casa à venda, pois a poeira das ruas está afetando a saúde de toda família.

Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Montes Claros