Mau cheiro na região Norte de Montes Claros é tema de debate na Câmara Municipal

Mau cheiro na região Norte de Montes Claros é tema de debate na Câmara Municipal ASCOM Câmara Municipal

A Câmara Municipal de Montes Claros promoveu nesta manhã de quinta-feira (18/05) Audiência Pública para debater sobre o mau cheiro na região Norte de Montes Claros. A reunião, que é de iniciativa do Vereador Junior Martins (PPS), teve como objetivo buscar por meio do diálogo com a população, órgãos e empresas soluções definitivas para o problema.

De acordo com Aluísio Cunha, representante da secretaria municipal de saúde, foram realizadas visitas em loco, além de fiscalização das licenças ambientais e das condicionantes nas empresas da região, e foi constatado que as mesmas seguem dentro da legalidade exigida pela vigilância sanitária e o controle de zoonoses. Aluíso destacou que a fiscalização do Rio Vieiras recai sob a Supram.

Roberto Botelho, representante da Copasa, informou que a empresa mantém seus padrões de atuação dentro da legislação ambiental, não tendo assim nenhuma emissão de gás acima do permitido. Com relação ao odor emitido pela Estação de Tratamento de Esgoto – ETE, Roberto declarou que foi realizado uma medição, e que nos próximos 30 dias terá um laudo conclusivo que irá afirmar se a empresa está liberando o odor, se está ou não dentro do limite permitido e qual a faixa de extensão do mau cheiro.

Marcos Murilo Maciel, representante da Companhia de Tecido Santanense; Marcos Narciso, da Laticínios Vida; Lucio Amaral, da Coopagro Laticínios e Anderson Caos, da Nestlé informaram que cumprem todas as obrigações legais, estando em dia com a fiscalização ambiental. Os representantes se colocaram a disposição para que seja feito um trabalho efetivo aliado aos órgãos e população para que o problema seja resolvido.

Os Vereadores apresentaram queixas da população com relação ao forte odor, que além de causar desvalorização dos imóveis, pode gerar problemas de saúde. Para Daniel Dias (PCdoB), "o odor estar dentro dos limites suportáveis não quer dizer que não incomode a população". A Vereadora Graça da Casa do Motor (PHS) cobrou respostas com relação aos danos causados à saúde da comunidade. Já o Vereador Edmilson Magalhães (PSDB), afirmou que "nunca se chega a um responsável. A ETE é a maior vilã, e o responsável direto é a Copasa, que não cumpre com suas obrigações legais. O governo também tem sua parcela de culpa por não fiscalizar" finaliza.

Os moradores do bairro Floresta cobraram pela resolução imediata do problema. "Temos provas que estas empresas jogam rejeitos no bairro. O odor se intensifica durante a madrugada. Queremos que seja realizado um plano de ação efetivo" cobrou Edvio Silva Bernardes. Também morador do Floresta, Deivson Lázaro afirma que o mau cheiro prejudica a saúde da filha de cinco anos e que é preciso que as autoridades conheçam de perto a realidade da região para que atitudes possam ser tomadas.

O Presidente da Casa, Cláudio Prates (PTB), informou que a Comissão de Meio Ambiente conduzirá as investigações e solicitou que o Vereador Junior Martins seja incluído nas discussões. Ao finalizar a Audiência, Junior declarou que buscará respostas e irá devolvê-las à sociedade. "Não podemos permanecer nesta situação, algo precisa ser feito" finaliza.

Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Montes Claros