Montes Claros poderá ter abatedouro móvel

A implantação de um abatedouro municipal em Montes Claros foi um dos destaques da audiência pública realizada hoje (7/11), na Câmara de Vereadores. A discussão foi proposta pelo Vereador Valdecy Contador (PMN) com objetivo de apresentar o projeto “Abatedouro Móvel” e a situação da carne consumida pela população montes-clarense.

Nesta semana, o Ministério Público em parceria com o Procon e Vigilância Sanitária, realizou a terceira fase da “Operação Carne Segura”. A ação foi deflagrada no Mercado Municipal e constatou açougues e peixarias com algumas irregularidades. De acordo com o médico veterinário, Milton Formiga, quase 29 mil quilos de carne são consumidos por dia em Montes Claros – cerca de 680 animais abatidos diariamente na cidade, entre ovinos, aves, bovinos, caprinos e suínos.

“Além da saúde pública estamos falando de maus tratos aos animais, pois a carne vendida clandestinamente é resultado de um abate feito de maneira incorreta, colocando muitas vezes o animal em sofrimento. Temos registros de grandes vendedores de carne que migraram para clandestinidade para sonegar impostos”, disse o promotor, Felipe Caires.

O engenheiro agrônomo, Reinaldo Oliveira, pontuou que a boa qualidade da carne é resultado de uma boa genética, alimentação e criação correta, abate sem sofrimento e armazenamento correto. Ele também afirmou que a carne clandestina traz uma série de doenças para os seres humanos.

De acordo com o coordenador regional do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), Marcos Túlio Pelaquim, cerca de 30% da carne vendida em Montes Claros é de origem clandestina.

ABATEDOURO MÓVEL


O abatedouro móvel é uma alternativa para incentivar a pequena produção de carnes de origem bovina, aves, suína, ovino e caprina. Em Montes Claros o projeto foi orçado em R$800 mil. Por ser móvel, tem a vantagem de poder atender vários produtores de uma localidade e ajudará a diminuir o custo da atividade, além de oferecer segurança alimentar aos produtos que chegam à mesa dos consumidores.

O Vereador Valdecy mostrou-se preocupado com atividade pecuária dos pequenos produtores rurais.

“O valor do abate é alto e os pequenos e médios produtores não conseguem manter a atividade. Com a criação do abatedouro móvel ou de um ponto fixo municipal, incentiva o homem do campo exercer a atividade”, destacou o Parlamentar.

Arnõ Xavier que é proprietário do único frigorífico da cidade, o Frigonildo apoiou a implantação do projeto.

“Alguns não querem abater no frigorífico para fugir do imposto. Um frigorífico tem gastos com limpeza, folha de pagamento, alvarás sanitários e ainda temos que estar de acordo com normas de proteção animal”.

O secretário de Agricultura, Osmani Barbosa, pontuou que o projeto deve ser bem estudado e com a participação dos donos dos frigoríficos e que a Prefeitura vai trabalhar na hipótese de implantar um frigorífico municipal.

Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Montes Claros