Falta de materiais para dedetização é tema de discussão na Câmara Municipal

Fábio Marçal/ Prefeitura de Montes Claros Fábio Marçal/ Prefeitura de Montes Claros

 

A falta de materiais para dedetização, bem como a falta de equipamentos de Proteção Individual (EPI) para os agentes de saúde e controle de endemias, foi tema de discussão na Reunião Ordinária desta terça-feira (23). A ausência de suporte e de equipamentos necessários para exercer o trabalho no município afeta não só o desempenho, mas também a saúde dos servidores.

O vereador Wilton Dias (PHS) afirmou em seu pronunciamento que os agentes de controle de edemias e agentes de saúde não dispõe de condições adequadas para atuarem na saúde pública.

Esses profissionais que tanto lutam pela saúde da população estão expostos a uma situação de vulnerabilidade, e lidam diariamente com a falta de condições de exercer o trabalho de forma segura. Falta bolsa, camisa, calça, máscara para fazer a dedetização. E é importante dizer que com a falta desses equipamentos esse pessoal que trabalha para manter a saúde pública, estão expostos a contrair doenças. Isso é inadmissível”, comenta o parlamentar.

 

O que são agentes de controle de endemias?

 

A atividade dos agentes de controle de edemias é regulamentada desde 2006 e é fundamental para prevenir e controlar doenças como dengue, chagas, leishmaniose e malária. Assim como os agentes comunitários de saúde (ACS), os ACEs trabalham em contato direto com a população e com vários elementos presentes na natureza. Entre as funções desse profissional estão a de dar orientações quanto à prevenção e tratamento de doenças infecciosas; fazer vistoria de residências, depósitos, terrenos baldios e estabelecimentos comerciais para buscar focos endêmicos; realizar a inspeção cuidadosa de caixas d’água, calhas e telhados; e aplicar e larvicidas e inseticidas em locais que podem ser abrigo de parasitas.