Gestão eficiente de recursos garante retomada das obras de construção da Câmara Municipal

“A conclusão do prédio da Câmara Municipal de Montes Claros vai sair do papel”, a afirmação é do presidente da Câmara, o vereador Cláudio Prates (PTB), que informou que a retomada das obras de construção do terceiro e quarto pavimentos do prédio será de imediato, com conclusão prevista para dezembro deste ano.

“Queremos concluir o terceiro pavimento a curto prazo, para que os gabinetes dos vereadores que ainda estão na antiga sede possam ser transferidos para a nova. Mas o objetivo é que o quarto andar também seja construído em breve, para entregarmos a obra completa para toda a população de Montes Claros”, ressalta Cláudio Prates destacando que a primeira licitação para contratação de empresa especializada será publicada, na próxima semana.

O presidente da Câmara ressalta que a retomada das obras é graças a um controle eficiente de despesas feito pela Câmara. Ele destaca que com o foco da gestão na transparência e economia de gastos desnecessários, foi possível várias conquistas. Desde que assumiu a presidência da Casa, foi colocado em prática o choque de gestão.

“Como gestores públicos, é necessário trabalharmos com seriedade e buscar otimizar os recursos. Com sugestões dos servidores da Câmara adotamos medidas que nos ajudaram a economizar. Ainda assim melhoramos os serviços oferecidos à população”, destacou Prates, lembrando que no ano passada a Câmara devolveu recursos ao município que foram usados no pagamento de salários dos funcionários da Emater.

Com a economia, foi possível ainda a renovação da frota de veículos, a aquisição de equipamentos de última geração para a TV Câmara (já em fase de testes) e agora a retomada das obras de construção da sede da Câmara, orçadas em R$ 2 milhões.

Cláudio Prates enfatiza que a conclusão do prédio vai permitir que os poderes trabalharem de forma harmônica. E que com a mudança de todos os gabinetes para a sede nova, a prefeitura também terá uma grande economia, utilizando o antigo prédio para abrigar várias secretarias.

“Com a conclusão do prédio, os gabinetes que ainda funcionam na sede antiga, serão transferidos para o terceiro andar, e todo o trabalho do legislativo estará concentrado no mesmo local. O Executivo também ganha, porque terá uma grande economia com aluguel de espaços, já que a antiga sede será devolvida, e as 36 salas poderão abrigar várias secretarias”, frisou o Presidente, ressaltando que a concentração dos poderes em seus respectivos espaços, vai facilitar o atendimento a população.

Segundo Ivan Fonseca, gerente financeiro da Câmara, a forma de licitação utilizada neste projeto possibilitará uma economia de R$ 500 mil.

“A Câmara irá contratar o serviço direto na empresa. Se fizéssemos assim há mais tempo outras economias poderiam ter sido feitas, mas é experiência. Antes contratávamos a empreiteira, que contratava a empresa. Agora vamos direto na fonte”, afirma.

A Câmara existe há 187 anos, e somente há pouco tempo se consolidou com a sua sede própria. A atual sede começou a ser planejada em 2011/2012 e foi concluída em dezembro de 2014.

Segundo o vereador Idelfonso da Saúde (MDB), que representa a Mesa Diretora na obra, grande parte dos recursos que serão usadas para a construção dos dois novos andares são recursos próprios da Câmara e outra parte de uma acordo feito com a Prefeitura.

“O dinheiro já está em caixa, por isso queremos dar início as obras ainda neste mês. Vale ressaltar, que o projeto prevê o terceiro pavimento para abrigar os gabinetes que ainda estão na sede antiga, que não têm possuí uma estrutura adequada. Já no quarto pavimento, serão construídas mais salas administrativas. Além disso, o projeto inclui a instalação de dois elevadores e toda a estrutura necessária para atender pessoas com deficiência”, afirmou Idelfonso.

Acessibilidade

Para garantir toda a acessibilidade necessária do prédio, uma comissão provisória foi criada na Casa Legislativa para ajudar na concepção de um projeto que atenda a todo cidadão.

Os vereadores Rodrigo Cadeirante (Rede) e Valcir da Ademoc (PTB) integram o grupo e já se reuniram com os engenheiros responsáveis pela obra, para listar as adequações necessárias no projeto de construção.

Segundo Rodrigo, as principais adaptações dizem respeito a inclusão de rampas de acesso em todos os andares do prédio, demarcações de vagas destinadas ao deficiente na garagem da Câmara e criação de vagas inclusivas no espaço destinado ao público no Plenário.

“Nós, como vereadores e deficientes, estamos trabalhando para garantir que o projeto contemple essas adaptações que são de extrema necessidade, não só para os deficientes, como também para idosos, gestantes, crianças e pessoas no geral com mobilidade reduzida. É algo que é primordial em um prédio público”, destacou o parlamentar.

Rodrigo Cadeirante enfatizou que além de serem adaptações inclusivas, esses acessos garantem a segurança de todas as pessoas em caso de uma emergência.

“Tomando como exemplo o caso do prédio em São Paulo que ficou incendiado, nenhum local está livre do risco de um incidente como este, por isso a importância de pensar medidas que ofereçam segurança a todos que precisem frequentar a Câmara Municipal”, disse o vereador.

O vereador Valcir da Ademoc, explica que a ideia é que Comissão de Acessibilidade que foi criada de forma provisória, se torne permanente para discutir e avaliar todos os projetos sobre o tema que derem entrada na Câmara.

“Por hora estamos trabalhando para fiscalizar essa obra de conclusão do prédio da Câmara, onde já detectamos várias falhas, mas o objetivo é que essa Comissão passe a ser permanente. Para isso, será preciso passar pelo Plenário, já que trata de uma mudança no regimento interno, mas que será de grande valia para todos, em especial daqueles que são deficientes”, afirma.

Assessoria Câmara Municipal de Montes Claros